quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

CAMPANHA SALARIAL 2010

43 comentários:
E MAIS UMA VEZ FOMOS SURPREENDIDOS ENGANADOS ...
E O QUE É PIOR POR QUEM DEVERIA LUTAR PELOS NOSSOS DIREITOS;


NA QINTA FEIRA DIA 17/12/2009 HOUVE UMA REUNIÃO NA CIDADE DE SÃO PAULO A FIM DE DELIBERAR A CERCA DA PROPOSTA PATRONAL, QUANTO AO REAJUSTE SALARIAL E DEMAIS BENEFÍSSIOS DA CATEGORIA;

AS NEGOCIAÇÕES COLETIVAS SE ENCONTRAM EM IMPASSE POIS A CLASSE PATRONAL QUER DAR UM AUMENTO DE 2,68% OU SEJA R$ 23,72 O MESMO ÍNDICE NO VALOR DA CESTA BÁSICA, QUE PASSARÁ A SER DE R$ 71,72 E O VALE ALIMENTAÇÃO QUE PASSARÁ A SER DE R$ 9,00(COM DESCONTO DE 20%).

E O QUE É MAIS SURPREENDENTE É QUE NA OCASIÃO A FETRAVESP DECIDIU ACEITAR A PROPOSTA PATRONAL, E AINDA MAIS ACEITOU QUE A CAMPANHA SALARIAL 2010/2011 SEJA CORRIGIDA PELO INPC DA FIPE E NADA MAIS.

AGORA É HORA DE NOS UNIRMOS PARA LUTAR PELOS NOSSOS DIREITOS E PARTICIPAR INCLUSIVE DAS ASSEMBLÉIAS GERAIS QUE SERÃO REALIZADAS EM RIBEIRÃO PRETO E FRANCA, PARA PRESSIONAR OS SINDICATOS A CONSEGUIREM UMA MELHOR PROPOSTA PARA A CATEGORIA.


DATAS DAS ASSEMBLÉIAS GERAIS

RIBEIRÃO PRETO
DIA 05 DE JANEIRO DE 2010 ÀS 18:00 HORAS NA SEDE DO SINDICATO.
RUA: ALAGOAS,271 - RIBEIRÃO PRETO - SP.

FRANCA
DIA 06 DE JANEIRO DE 2010 ÀS 18:00 HORAS NO HOTEL TOWER
RUA: DR. JÚLIO CARDOSO, 2214 CENTRO. - FRANCA - SP.

_________________________________________________________________


Tabela de Cargos e Funções 2010


Piso Salarial da Categoria R$ 909,12

Cargo
Gratificações de Função
Salário + Gratificações + Adicional de Risco
Vigilante

R$ 990,94
Vigilante Feminino

R$ 990,94
Vigilante em Regime de Tempo Parcial

R$ 598,37
Vig. / Monitor de Segurança Eletrônica
5%
R$ 1.036,40
Vig. / Condutor de Animais
10%
R$ 1.081,86
Vig. / Condutor de Veículos Motorizados
10%
R$ 1.081,86
Vig. / Segurança Pessoal
10%
R$ 1.081,86
Vig. / Brigadista
10%
R$ 1.081,86
Vig. / Líder
12%
R$ 1.100,04
Vig. / Operador de
Monitoramento Eletrônico
11,77%
R$ 1.016,12
Supervisor de Monitoramento Eletrônico
74,71%
R$ 1.588,32

Outras Funções Com Salários Reajustados

Cargo
Salário
Auxiliar de Monitoramento Eletrônico
R$ 750,08
Atendente de Sinistro
R$ 1.000,01
Instalador de Sistemas Eletrônicos
R$ 871,00
Empregados Administrativos
R$ 681,86
Inspetor de Segurança
R$ 1.315,69
Supervisor de Segurança
R$ 1.588,32


Veja Também




quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Governo de SP lança programa que permite acesso rápido à internet por até R$ 29,80

Nenhum comentário:
reportagem completa no site do governo
http://www.fazenda.sp.gov.br/default.asp



O governador do Estado de São Paulo, José Serra, assinou nesta quinta-feira (15/10) o decreto que cria o Programa Banda Larga Popular, facilitando o acesso da população ao serviço de internet em alta velocidade graças à redução – de 25% para zero – da alíquota do ICMS cobrado desse serviço. Pagando no máximo R$ 29,80 por mês, o usuário do pacote popular terá direito a um modem (aparelho que permite a conexão), instalação e os serviços do provedor de internet com velocidade mínima de 200 Kbps (Kilobits por segundo) e máxima de 1 Mbps (Megabits por segundo). Essa velocidade inicial já é praticamente quatro vezes mais rápida do que a conexão discada. O acesso à internet será ilimitado, sem restrições de horário ou de volume de tráfego de dados. A partir de agora as operadoras já podem oferecer o serviço. O decreto foi assinado nesta quinta-feira, pelo governador e pelos secretários Mauro Ricardo Costa (Fazenda) e Sidney Beraldo (Gestão Pública), durante a Futurecom, na capital. Horas antes, Serra antecipava o lançamento por meio do Twitter, rede de relacionamento pela internet.


O programa, disponível apenas para pessoas físicas, irá beneficiar especialmente a população de baixa renda, que já tem computador mas não tem acesso à internet ou ainda utiliza o acesso discado. Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD, do IBGE, quase 2,5 milhões de domicílios podem ser beneficiados pelo programa – são os lares que têm computador e não acessam a internet ou aqueles que utilizam a internet discada. Atualmente, 31,4% dos lares do Estado têm acesso à internet Banda Larga, de acordo com dados do IBGE de 2009. Já a internet discada chega a 12,7% das residências. Ainda segundo o instituto, para 58% dos que possuem computador e não acessam a internet, o principal problema é o custo. Com o novo programa, o governo de São Paulo espera que a metade dos lares paulistas passe a contar com internet de alta velocidade.


"Estamos zerando o ICMS e fizemos um entendimento com os provedores para que os dois lados reduzam custos. Assim, atenderemos uma faixa bem significativa da população, pessoas que não têm acesso à internet ou usam acesso discado", disse Serra. "Isso proporciona um crescimento na economia, mas há também a questão educacional. Ainda que a educação não tivesse nenhum efeito sobre o crescimento econômico, nós deveríamos proporcioná-la, cada vez melhor. Com a internet é a mesma coisa. Educação e conhecimento são ingredientes essenciais da liberdade individual", afirmou.


O programa Banda Larga Popular foi autorizado por convênio firmado pelo Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária), em abril deste ano. O Estado de São Paulo foi autorizado a reduzir a zero a alíquota do ICMS sobre esse serviço


O pacote popular de internet em alta velocidade vai incentivar o acesso das camadas mais pobres da população à tecnologia, aumentando ainda mais a inclusão digital no Estado de São Paulo, o acesso à informação disponível na rede, e também ao mercado de trabalho, já que muitas vagas são anunciadas por este meio.


A importância do acesso à banda larga para a economia já foi atestada pelo Banco Mundial, em um relatório divulgado em junho deste ano. De acordo com o estudo, cada aumento de dez pontos percentuais nas conexões de internet de banda larga de um país corresponde a um crescimento adicional de 1,3 ponto percentual no Produto Interno Bruto (PIB). Além disso, estima-se que o aumento de 1% no número de acessos de banda larga aumenta o número de empregos em 0,2%.


"O Programa Banda Larga Popular vai aumentar a inclusão digital e, consequentemente, o acesso à informação para o cidadão paulista", diz o secretário de Estado de Gestão Pública, Sidney Beraldo.


Para Mauro Ricardo Machado Costa, secretário da Fazenda, além dos benefícios à economia e ao emprego, a medida "significará mais oportunidades de acesso a serviços online oferecidos pelo governo de São Paulo, como por exemplo o acompanhamento da Nota Fiscal Paulista e a busca por trabalho no Emprega São Paulo".


Os interessados devem procurar as operadoras de telefonia que ofereçam o serviço de acesso à internet em banda larga de acordo com o programa. É possível a instalação de apenas um contrato por CPF e por endereço.


Serviço – Programa Banda Larga Popular

Preço mensal do pacote: até R$ 29,80 (as operadoras são livres para cobrar menos)O que inclui: modem, instalação, provedor de internetCondições: apenas para pessoas físicas. Um contrato por endereço e por CPFVelocidade da conexão: mínima de 200 Kbps e máxima de 1 MbpsComo contratar o serviço: os interessados devem procurar as empresas prestadoras de serviço de acesso à internet por banda larga

Taxas: Não há taxa de habilitação nem multa de cancelamentoReinstalação do serviço se solicitada antes de 12 meses após o desligamento: até R$ 100Cancelamento de assinatura de outro serviço para migração para a banda larga popular: até R$ 100Assistência técnica em domicílio para defeitos causados pelo usuário: até R$ 50

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Aposentadoria Especial para Vigilantes

5 comentários:
Líderes sindicais pedem aposentadoria especial para vigilantes
Os presidentes das federações Nacional dos Trabalhadores Vigilantes, José Boaventura Santos; dos Sindicatos dos Vigilantes do Rio de Janeiro, Fernando Antônio Bandeira, e dos Vigilantes, Chico Vigilante, defenderam a aprovação da aposentadoria especial e do adicional de risco de vida para trabalhadores que exercem a profissão de vigilante. Eles participaram nesta terça-feira (18) de audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH).
Os sindicalistas manifestaram apoio ao PLS 173/8, do senador Paulo Paim (PT-RS), que prevê o pagamento de adicional à categoria. Eles explicaram que, ao acrescentar a profissão de vigilante entre as que fazem jus ao adicional por risco de vida no Regime Jurídico Único dos Servidores Civis da União (Lei 8.112/90), a proposta acaba por enquadrar a categoria nas excepcionalidades previstas na Constituição, tornando-a apta a receber aposentadoria especial. A matéria tramita na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).
Os sindicalistas também apoiaram o PLS 387/08, que consta da pauta da Comissão de Assuntos Sociais (CAS) e prevê concessão de adicional de periculosidade de 30% para os vigilantes, e o PLS 179/08, do senador Sérgio Zambiasi (PTB-RS), que institui adicional de risco para os vigilantes de universidades federais e está em exame na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE).
Terceirização
Foi consenso entre os sindicalistas presentes à audiência da CDH que as condições de trabalho da profissão são desumanas porque os vigilantes ficam sujeitos a carga horária de até 12 horas ininterruptas, em pé, sem contato com outras pessoas, o que, segundo os sindicalistas, provoca desgaste físico e psicológico. Boaventura Santos ressaltou que, dos 1.700 mil vigilantes ativos, apenas 700 mil têm emprego formal, estando os demais desempregados ou trabalhando em outras atividades. Conforme observou, boa parte dos vigilantes se aposenta antes dos 40 anos de idade, com redução de salário.
O modelo de terceirização, segundo Boaventura Santos, gera preconceito e discriminação da categoria, que convive com condições de trabalho ruins, baixos salários e inexistência de direitos trabalhistas.
Nesse sentido, Fernando Bandeira e o ex-deputado federal Chico Vigilante denunciaram a existência de empresas "de fachada", que são contratadas por prefeituras e governos estaduais para prestação de serviço de vigilância. Essas empresas, alegam os sindicalistas, abrem e fecham suas portas em curto espaço de tempo, demitindo os vigilantes sem pagar direitos trabalhistas
COMISSÕES / Direitos Humanos 18/08/2009

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Rejeitado o Projeto de Lei 4.340/08

15 comentários:
Companheiros venho hoje Comentar sobre esta matéria que encontrei e também manifestar minha grande indignação e tristeza em ver que um deputado tenha um pensamento tão pequeno como este...

Vejão vocês que ainda podemos contar com o apoio de alguns parlamentares como o Sr. Onyx Lorenzoni que enviou a câmara dos deputados o Projeto de Lei 4.340/08, que autoriza vigilantes a andarem armados fora do trabalho, seria uma grande vitória da nossa categoria, não fosse pela interpretação do Sr. Deputado José Genoíno que votou pela Rejeição deste Projeto, e o que é pior um dos motivos por ele mencionados para justificar o voto pela Rejeição do projeto foi esta

“Na década de noventa, do século passado, em diversas oportunidades, foi discutido, no âmbito desse Congresso, a atuação de empregados de empresas privadas de segurança em grupos de extermínio“

Será que o ilustre deputado se esqueceu destes Fatos (entre outros)...

maio de 2006
“Entre os dias 12 e 20 de maio de 2006, após os ataques do crime organizado, 493 pessoas foram assassinadas no estado de São Paulo. Na maioria dos casos foram mortas pela própria polícia, em supostas resistências seguidas de morte, e por grupos de extermínio. Porém, mais de um ano depois, menos de 20 casos foram esclarecidos. Isso gerou uma grave certeza de impunidade, fazendo com que os grupos de extermínio - sempre com a participação de policiais, principalmente militares - continuassem atuando livremente com a omissão e até conivência do Estado.”

http://www.direitos.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=4043&Itemid=2

novembro de 2007
“A denúncia, que narra a participação dos dois policiais militares em grupo de extermínio, descreve que, após assalto sofrido por colegas da corporação – que se encontravam em serviço e tiveram suas armas e coletes roubados –, os recorrentes, em conjunto com outros militares, iniciaram busca para identificar os autores do roubo.
Encontrados os supostos autores, prossegue a denúncia, sem qualquer investigação formal ou oportunidade de defesa, os recorrentes e demais policiais deflagraram 12 tiros contra as vítimas, ocasionando a morte de uma delas e tentando contra a vida da outra.”

http://www.stj.gov.br/portal_stj/publicacao/engine.wsp?tmp.area=398&tmp.texto=92373

Março de 2009
"O Ministério Público de São Paulo denunciou nesta segunda-feira (16) à Justiça seis policiais militares do 37º Batalhão da Polícia Militar acusados de fazer parte de um grupo de extermínio. Eles foram acusados de matar Roberth Sandro Campos Gomes e Roberto Aparecido Ferreira, no dia 6 de maio do ano passado em Itapecerica da Serra (SP). Os corpos foram encontrados em um córrego e sem as cabeças, estratégia usada policiais para dificultar o reconhecimento."

http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=867712

Não quero com estes exemplos denegrir a imagem da polícia, mas sim mostrar que não devemos julgar um livro pela capa, assim como Há maus e bons vigilantes em todas as empresas, Também há maus e bons policiais nas corporações;

“ Nós vigilantes só queremos o direito de poder nos defender, e garantir um trajeto mais seguro para nosso serviço como para nossa casa”

Veja na integra a opinião do deputado José Genoíno.

http://www.camara.gov.br/sileg/integras/649410.pdf

domingo, 12 de julho de 2009

Polícia Federal regulamenta uso de armas não-letais para vigilantes

5 comentários:
9 de Julho de 2009

Agora é Lei - Polícia Federal regulamenta uso de armas não-letais para vigilantes
A Polícia Federal regulamentou, via portaria, o uso de armas não-letais para os cerca de 410 mil vigilantes de todo o país. A categoria tem quase o mesmo contingente de policiais militares, 411 mil, segundo o Ministério da Justiça. Os seguranças, no entanto, terão de fazer um curso específico para o uso do armamento.A portaria determina ainda que armas de calibres 32 e 38 só podem usar os vigilantes que trabalham em bancos, fazem transporte de valores ou escolta armada de caminhões de carga. Mas todos vão poder agora usar armas não letais, antes exclusivas da polícia e guardas municipais, entre elas o spray de pimenta, as algemas e a pistola de choque. Todo esse material só entra no Brasil com autorização do Exército e o uso é fiscalizado pela Polícia Federal.
A pistola de choque, por exemplo, usa uma munição com alcance de até dez metros.
- Nesse disparo saem dois feixes, que é positivo, negativo, como se fosse um anzol, que vai pegar no teu corpo e vai paralisar seus músculos voluntários. Os involuntários, coração, pulmão, que causa morte, ela não para - explica o empresário Flávio Sandrini.
Além do curso de formação, que é obrigatório, os vigilantes vão ter que fazer também um curso específico.
- Visa melhorar o treinamento dessas pessoas já que esse armamento não-letal é feito para não causar dano, mas deve ser bem utilizado para atingir essa finalidade - afirma o delegado da Polícia Federal, Guilherme Lopes Madarena.
Fonte: Jornal O Globo

Projeto autoriza vigilantes a andarem armados fora do horário de trabalho

17 comentários:
Projeto de Lei 4.340/08.
A Câmara dos Deputados está analisando o Projeto de Lei 4.340/08, do deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), que isenta os vigilantes que comprarem arma para uso particular do pagamento da taxa de porte. A proposta acrescenta a medida ao Estatuto do Desarmamento, que determina que as armas utilizadas por esses profissionais são de propriedade, responsabilidade e guarda das empresas onde trabalham. Atualmente, de acordo com o Estatuto, os vigilantes não podem comprar armamento para uso particular.

Onyx Lorenzoni argumenta que os vigilantes possuem treinamento e, portanto, capacidade para portar arma. "Apesar disso, retornam a seus lares sem o instrumento que lhes garante a segurança necessária", afirma.

A isenção, segundo o projeto, valerá para os vigilantes das empresas de segurança privada e de transporte de valores que comprovarem que já utilizam arma de fogo em serviço. O Estatuto do Desarmamento, em sua redação atual, não isenta os vigilantes do pagamento de nenhuma taxa. De acordo com as regras vigentes, são isentos os integrantes das Forças Armadas, das polícias e dos corpos de bombeiros militares, entre outras categorias.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Os direitos e deveres do Vigilante

159 comentários:






Direitos

A
rt. 117. Assegura-se ao vigilante:

I - o recebimento de uniforme, devidamente autorizado, às expensas do empregador;

II - porte de arma, quando em efetivo exercício;

III - a utilização de materiais e equipamentos em perfeito funcionamento e estado de conservação, inclusive armas e munições;

IV - a utilização de sistema de comunicação em perfeito estado de funcionamento;

V - treinamento permanente de prática de tiro e de defesa pessoal;

VI - seguro de vida em grupo, feito pelo empregador;

VII - prisão especial por ato decorrente do exercício da atividade.

Deveres

Art. 118. São deveres dos vigilantes:

I - exercer as suas atividades com urbanidade, probidade e denodo;

II - utilizar, adequadamente, o uniforme autorizado, apenas em serviço;

III - portar a Carteira Nacional de Vigilante - CNV;

IV - manter-se adstrito ao local sob vigilância, observando-se as peculiaridades das atividades de transporte de valores, escolta armada e segurança pessoal;

V - comunicar, ao seu superior hierárquico, quaisquer incidentes ocorridos no serviço, assim como quaisquer irregularidades relativas ao equipamento que utiliza, em especial quanto ao armamento, munições e colete à prova de balas, não se eximindo o empregador do dever de fiscalização.

> Portaria N°387/2006-DG/DPF (na íntegra, no site da Polícia Federal)

sexta-feira, 15 de maio de 2009

vigilantes podem ter piso salarial unificado

8 comentários:

A Câmara analisa o Projeto de Lei 7473/06, do deputado Pauderney Avelino (PFL-AM), que fixa o piso salarial nacional dos vigilantes, tomando como base o salário desses profissionais no Distrito Federal, hoje fixado em R$ 916. O projeto determina o reajuste anual do piso, no mês de maio, em percentual equivalente à variação acumulada do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC ), apurado pelo IBGE, verificada nos 12 meses imediatamente anteriores.

O autor da proposta destaca que os vigilantes estão sujeitos a constante perigo de vida e que sua atividade também pressupõe a guarda de valores econômicos. "O profissional que exerce sua atividade sob um rigoroso controle merece ser remunerado por um salário condigno", afirma o parlamentar.

A proposta altera a Lei 7102/83, que dispõe sobre segurança para estabelecimentos financeiros e estabelece normas para constituição e funcionamento das empresas particulares que exploram serviços de vigilância e de transporte de valores.

Remuneração mínima

Pauderney Avelino lembra que o artigo 7º da Constituição estabelece que é direito dos trabalhadores urbanos e rurais um piso salarial proporcional à extensão e à complexidade do trabalho, cujo valor consiste na menor remuneração paga a um trabalhador que desempenhe determinada atividade, sujeita a condições e critérios estabelecidos em lei.

Segundo ele, todas as profissões regulamentadas deveriam ter um piso salarial. Entretanto, apenas algumas o possuem, a exemplo dos médicos e dos radiologistas, cujos valores foram determinados em leis anteriores a 1988 e fixados com base no salário mínimo, sendo recepcionadas pela Constituição atual.

Tramitação

O projeto tem caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:- PL-7473/2006

Reportagem - Newton Araújo Jr.

Edição - Pierre Triboli

Por: Agência Câmara

Data de Publicação: 26 de outubro de 2006.

Tabela de Cargos e Funções 2009/2010

3 comentários:

Tabela de Cargos e Funções 2009


Piso Salarial da Categoria R$ 885,93

Cargo
Gratificações de Função
Salário + Gratificações + Adicional de 6%
Vigilante

R$ 938.51
Vigilante Feminino

R$ 938.51
Vigilante em Regime de Tempo Parcial

R$ 533,25
Vig. / Monitor de Segurança Eletrônica
5%
R$ 982,78
Vig. / Condutor de Animais
10%
R$ 1.027,05
Vig. / Condutor de Veículos Motorizados
10%
R$ 1.027,05
Vig. / Segurança Pessoal
10%
R$ 1.027,05
Vig. / Brigadista
10%
R$ 1.027,05
Vig. / Líder
12%
R$ 1.044,76
Vig. / Operador de
Monitoramento Eletrônico
11,77%
R$ 989,60
Supervisor de Monitoramento Eletrônico
74,71%
R$ 1.546,86

Outras Funções Com Salários Reajustados

Cargo
Salário
Auxiliar de Monitoramento Eletrônico
R$ 730,50
Atendente de Sinistro
R$ 973,91
Instalador de Sistemas Eletrônicos
R$ 848,27
Empregados Administrativos
R$ 664,06
Inspetor de Segurança
R$ 1.281,25
Supervisor de Segurança
R$ 1.546,88

O reajuste de 5,83% elevou o piso salarial do vigilante para R$ 885,39 e o vale refeição para R$ 8,46 por dia trabalhado, a partir de 1º de Maio. 

Já o adicional de risco de vida será de 6% do piso nominal, ou seja, R$ 53,12.
Neste ano, apenas as cláusulas econômicas sofreram alterações.
De acordo com o Dissídio Coletivo, o adicional de risco de vida é progressivo, sendo que em 2008 era de 3% e neste ano passa a ser 6%, chegando, já a partir de 1º de janeiro de 2010 em 9%, em função de ter ocorrido mudança na data-base da categoria para 1º de janeiro de cada ano.

Sendo assim, em janeiro de 2010 vigilantes terão novo piso salarial

Piso Salarial Vigilante. Estado São Paulo

169 comentários:
Piso da categoria sobe para R$ 885,39
O reajuste de 5,83% elevou o piso salarial do vigilante para R$ 885,39 e o vale refeição para R$ 8,46 por dia trabalhado, a partir de 1º de Maio.
Já o adicional de risco de vida, beneficio conquistado pelo Seevissp no ano passado em sede de Dissídio Coletivo, será de 6% do piso nominal, ou seja, R$ 53,12.
Neste ano, apenas as cláusulas econômicas sofreram alterações.
De acordo com o Dissídio Coletivo, o adicional de risco de vida é progressivo, sendo que em 2008 era de 3% e neste ano passa a ser 6%, chegando, já a partir de 1º de janeiro de 2010 em 9%, em função de ter ocorrido mudança na data-base da categoria para 1º de janeiro de cada ano.
Em sendo assim, em janeiro de 2010 vigilantes terão novo piso salarial

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Adicional de 30% para vigilantes é discutido com Sarney

2 comentários:
" Só depende da Camara aprovar o projeto "

Adicional de 30% para vigilantes é discutido com Sarney

Acompanhado de representantes da Confederação Nacional dos Vigilantes, o presidente do PT no Distrito Federal, ex-deputado Chico Vigilante, reuniu-se, na manhã desta quarta-feira (06), com o presidente do Senado, José Sarney, para discutir a votação de projeto que concede um adicional de periculosidade de 30% para os trabalhadores vigilantes.

Chico Vigilante pediu que o Senado vote, na forma como aprovado na Câmara, projeto da deputada Vanessa Grazziotin estabelecendo o adicional. Na ocasião, Sarney pediu que a secretária-geral da Mesa, Claudia Lyra, o informasse sobre o andamento do projeto, a fim de que ele seja submetido ao exame dos senadores tão logo chegue da Câmara.

- Informamos ao presidente do Senado que os vigilantes desempenham uma atividade muito penosa e de muito risco. E estamos saindo com a certeza de que o projeto andará rapidamente no Senado, porque o presidente Sarney disse que esse é um pleito mais do que justo.

De acordo com Chico Vigilante, já existe na lei trabalhista um precedente de concessão de adicional de periculosidade para os bombeiros civis que, no seu entender, correm riscos semelhantes aos dos vigilantes.

- Nossa certeza agora é de que os vigilantes vão ganhar. - afirmou ele ao deixar o Senado.

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Um dia inteiro sem Transporte de Valores – Manifestações em todos os Estados

Nenhum comentário:
Vigilante de Transporte de Valores planejam manifestações nesta segunda feira, 13 de abril em defesa do emprego e contra a tentativa de imposição do malote de tintas, que gera desemprego;
Em defesa da segurança e contra a violência que continua matando trabalhadores Brasil afora;
Um dia de bancos sem dinheiro para sentirem a importância da nossa categoria.

Fonte: www.sindforte.org.br

terça-feira, 31 de março de 2009

"Proposta do sindicato aprovada em assembléia"

Nenhum comentário:
Os vigilantes que compareceram ontem à assembléia da Campanha Salarial aprovaram a proposta de reajuste com base no INPC do IBGE a título de recomposição salarial mais 3,5% de aumento real que incidirão sobre toda remuneração, a qual abrange verbas salarias e gratificações da função. Cinco trabalhadores irão acompanhar o SEEVISSP nas negociações com o sindicato patronal. A data base é 1º de maio. Esperamos o apoio de todos os vigilantes para conseguirmos o aumento proposto!

"Estamos na Justiça pela PLR"

23 comentários:
A Federação dos Vigilantes do Estado, escolhida pelos sindicatos paulistas da categoria para negociação global, apesar do grande esforço empreendido, não conseguiu chegar a nenhum acordo com as empresas de segurança sobre o percentual da Participação nos Lucros e Resultados, após meses de negociações.

O sindicato patronal apresentou propostas irrisórias e com pagamento apenas para 2011. Com isso, os empregadores não desrespeitam somente os vigilantes, mas o próprio TRT, que determinou o pagamento da participação nos lucros e/ou resultados já a partir desse dissídio. E não é só isso. O conteúdo das propostas dos patrões chega a ser intrigante. Fazem diferença entre funcionários, criam condições impraticáveis, ou seja, estão realmente dispostos a não colaborar e a evitar, de todas as maneiras, o pagamento da PLR conquistada pelos trabalhadores.

Sendo assim, não restou alternativa para o SEEVISSP senão interpor ações contra cada empresa do setor na Justiça. A medida se faz necessária, pois a Seção do Tribunal, ao estabelecer a cláusula, fixou a obrigação para cada empresa em específico. Serão muitas as ações, e as soluções, que afetarão os trabalhadores de cada uma delas, ficarão a cargo de juízes diferente.

Realmente não era intenção do Sindicato ter de recorrer novamente à Justiça. Esperava contar com um grau mais elevado de maturidade e sabedoria das empresas e de sua representação. Mas não há outro meio viável que possa solucionar o problema.

Fica cada vez mais evidente em nossa categoria que devemos fortalecer e engrandecer continuamente nossa luta. Além de prover nossa representação sindical de meios suficientes para a conquista dos direitos. Esses são conquistados apenas com muito sacrifício e esforço, através de instrumentos competentes e meios adequados.

A decisão sobre o pagamento da PLR foi tomada pelo Tribunal Regional do Trabalho no dissídio coletivo da categoria em junho de 2008. O sindicato patronal foi escolhido pelas empresas para a negociação global, já que um critério único foi considerado mais conveniente, mas não ofereceu nenhuma condição mínima aceitável. Sendo assim, a via de negociação se viu esgotada. As empresas têm sido chamadas e as ações serão encaminhadas à Justiça. Devemos esperar a melhor decisão. Caso as empresas, individualmente, apresentem propostas viáveis, estas serão analisadas e consideradas.

Não podemos nos submeter a propostas ofensivas depois de todo o esforço e da conquista efetivada. Temos que conseguir um percentual justo para a PLR. Se as empresas de segurança faturam, é porque os vigilantes fazem seu trabalho de maneira adequada. Nada mais justo que recebermos o benefício assegurado pela constituição e julgado pelo TRT.

Nós não iremos desistir!...

domingo, 22 de março de 2009

Bancos pagam R$ 3 milhões por desrespeito a segurança.

Nenhum comentário:
Bancos pagam R$ 3 milhões por desrespeito a segurança. Bradesco é o campeão de infração e terá que arcar com mais de um milhão de reais
São Paulo – A Comissão Consultiva para Assunto de Segurança Privada autuou nesta quarta, dia 10, as instituições financeiras por desrespeito as normas de seguranças. Durante a reunião em Brasília foram julgados 356 processos que resultaram em multa de mais de R$ 3 milhões de reais. Na última reunião ocorrida em setembro o montante das multas já havia ultrapassado os R$ 2,5 milhões.
A Ccasp é integrada por representantes dos bancos, bancários, empresas de segurança, vigilantes e Exército, e julga processos abertos em fiscalizações da Polícia Federal (PF).
O campeão da vez é o Bradesco que ficou com maior parte e terá que desembolsar cerca de R$ 1,2 milhões de reais. As principais irregularidades cometidas pela organização se referem a irregularidades na questão de transporte de numerário. A lei proíbe que o manuseio seja feito por bancários. Além disso, foram constadas infrações como: falta de plano de segurança, alarme desligado e falta de vigilantes.
Na seqüência ficaram Caixa Federal, Unibanco, Santander, Itaú, Nossa Caixa, Real, Banco do Brasil, HSBC e Safra.
"Os banqueiros, apesar de seus lucros astronômicos, continuam descumprindo a lei federal nº 7.102/83 e as portarias da Polícia Federal, uma vez que várias unidades funcionam com plano de segurança vencido, alarme inoperante e ausência de vigilante no auto-atendimento, dentre outras irregularidades", afirma o funcionário do Unibanco e diretor do Sindicato Daniel Reis.
Bancos multados e os valores
Bradesco: R$ 1.211.000
Caixa Federal: R$ 545.000
Unibanco: R$ 345.000
Santander: R$ 291.000
Itaú: R$ 275.500
Nossa Caixa: R$ 175.500
Real: R$ 116.500
Banco do Brasil: R$ 125.000
HSBC: R$ 30.000
Safra: R$ 15.500
Carlos Fernandes - 10/12/2008 - www.spbancarios.com.br

Proposta do sindicato aprovada em assembléia

Um comentário:
Os vigilantes que compareceram ontem à assembléia da Campanha Salarial aprovaram a proposta de reajuste com base no INPC do IBGE a título de recomposição salarial mais 3,5% de aumento real que incidirão sobre toda remuneração, a qual abrange verbas salarias e gratificações da função. Cinco trabalhadores irão acompanhar o SEEVISSP nas negociações com o sindicato patronal. A data base é 1º de maio. Esperamos o apoio de todos os vigilantes para conseguirmos o aumento proposto!


Fonte: Seevissp