quarta-feira, 16 de abril de 2014

Vigilantes do Rio decidem Entrar em greve a partir do dia 24.

Impasse ameaça deixar Maracanã e aeroportos sem segurança no Mundial

Uma assembléia está marcada para segunda-feira, às 7h, na Candelária, para decretar a uma possível greve
Não houve acordo na negociação salarial durante reunião entre 13 sindicatos de vigilantes do estado e a entidade das empresas de segurança (Sindesp). O encontro foi na Superintendência Regional do Trabalho. A falta de diálogo entre as partes pode levar agentes de segurança privada a cruzar os braços durante os dias que antecedem a Copa, em junho, deixando Maracanã, aeroportos do Galeão e Santos Dumont, entre outros postos, sem vigilância. Uma assembleia está marcada para segunda-feira, às 7h, na Candelária, para decretar a uma possível greve.

A categoria pede reajuste de 10%, jornada de 44 horas semanais, desconto do tíquete refeição de 20% para 5%, plano de saúde para os vigilantes e seus dependentes e aumento do tíquete refeição para R$ 20,52.
“Não podemos aceitar a contraproposta dos patrões de 7% de reajuste e R$ 13 no tíquete”, diz Antônio Oliveira, vice-presidente Sindicato dos Vigilantes do Município do Rio (Sindvigrio).

Presidente da entidade, Fernando Bandeira disse na audiência que o Rio é um dos estados com pior piso salarial. “Fica abaixo do salário dos vigilantes de Tocantins, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Distrito Federal. No ranking nacional é o 13º piso do país”, assegura. 
Bandeira argumenta que uma refeição no Centro do Rio não sai por menos de R$ 20. “Como pode o patrão pagar um tíquete refeição de R$ 13?”, indaga o sindicalista.

Protestos levam caos ao trânsito do Leblon e Barra


O segundo dia da greve dos trabalhadores da construção civil do Rio foi marcado por mais protestos, na manhã de ontem. A interdição de pista na Barra da Tijuca, na Zona Oeste, e uma passeata no Leblon, na Zona Sul, complicaram a vida dos motoristas. Responsáveis por sete obras de infraestruturas e mobilidade na cidade, cerca de 27 mil operários estão de braços cruzados.

O sindicato da categoria afirma que o número representa 90% de toda a mão de obra. Os operários afirmam que hoje pela manhã haverá novos protestos. A partir das 11h, ocorrem quatro reuniões de conciliações entre patrões e empregados no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), no Centro.

A paralisação deve afetar diretamente a conclusão da Transcarioca, obra fundamental para o esquema de trânsito para a Copa. Porto Maravilha, Metrô Linha 4, Transmodal, Transolímpica, reforma do Engenhão e Parque Olímpico Rio 2016 são as outras iniciativas paradas. Somado a todos esses transtornos, o Comitê Olímpico Internacional (COI) já cogita a possibilidade de tirar os Jogos Olímpicos do Rio.

PROTESTOS

No Leblon, funcionários das obras da Linha 4 do metrô percorrerem as avenidas Afrânio de Melo Franco, Bartolomeu Mitre e Rua Humberto de Campos, complicando o trânsito na região. Na Barra, pelo segundo dia consecutivo, cerca de 200 operários das obras do Parque Olímpico voltaram a interditar a Avenida Embaixador Abelardo Bueno.

Os grevistas reivindicam pagamento de 100% de horas extras (hoje é pago 70%), cesta básica de R$ 300 e 10% de reajuste. Já os patrões oferecem 9% de aumento e cesta de R$ 250 e informaram que não vão aumentar a proposta.

Mesmo com os transtornos e a possibilidade da Transcarioca não ficar pronta para a Copa, a Prefeitura do Rio informou que não iria se manifestar sobre o assunto alegando que a solução cabe as partes envolvidas.

Polícia Federal multa 14 bancos por Falhas na segurança

Agências do Rio de Janeiro também foram multadas por abrirem suas portas com apenas um vigilante durante greve
A Polícia Federal aplicou R$ 5,312 milhões em multas a 14 bancos por falhas na segurança de agências e postos de atendimento, durante a 100ª reunião da Comissão Consultiva para Assuntos de Segurança Privada. A reunião foi realizada na última quarta-feira, em Brasília.

Multas ao Banco do Brasil totalizaram R$ 1,545 milhão. O Itaú foi multado em R$ 1,188 milhão, o Santander, em R$ 745 mil, a Caixa Econômica Federal, em R$ 738 mil, e o Bradesco, em R$ 679 mil, informou a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT)

De acordo com a Contraf, eram 485 processos contra bancos, abertos pelas delegacias estaduais de segurança privada, por causa do descumprimento da Lei Federal nº 7.102/83 e de portarias da Polícia Federal. “As principais irregularidades foram equipamentos inoperantes, número insuficiente e falta de rendição de vigilantes no horário de almoço, transporte de valores feito por bancários, inauguração de agências sem plano de segurança aprovado e cerceamento da fiscalização de policiais federais, dentre outras”, diz a Contraf.

Ainda segundo a Contraf, várias agências no estado do Rio de Janeiro também foram multadas por abrirem suas portas com apenas um vigilante durante uma greve da categoria. A Lei nº 7.102/83 exige a presença de, no mínimo, dois vigilantes.

A Comissão Consultiva para Assuntos de Segurança Privada é integrada por representantes do governo e entidades dos trabalhadores e dos empresários. A Contraf-CUT é a porta-voz dos bancários e a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) representa os bancos. Foi a primeira reunião da cpmissão neste ano. 

A próxima foi marcada para 7 de maio.



Fonte: O DIA

Convenção Coletiva de Trabalho dos Vigilantes do Paraná - 2014


CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015

NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR000260/2014
DATA DE REGISTRO NO MTE: 29/01/2014
NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR004855/2014
NÚMERO DO PROCESSO: 46212.000884/2014-11
DATA DO PROTOCOLO: 29/01/2014

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

TERMOS ADITIVO(S) VINCULADO(S)
Processo n°: e Registro n°:
FEDERACAO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS ENQUADRADAS NO TERCEIRO GRUPO COMERCIO E EMPREGADOS EM EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVICOS DO ESTADO DO PARANA , CNPJ n. 81.906.810/0001-03, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). JOAO SOARES;

SINDICATO EMPREG EMPRESAS SEG VIGILANCIA, TRANS VALORES SEG PESSOAL ORGANICA ESC ARMADA AG TATICO E MONIT CURSO FORM ESP VIGI E SIMIL DE CURITIBA E RE, CNPJ n. 78.232.774/0001-35, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). JOAO SOARES;

SINDICADO DOS EMPREGADOS EM EMPRESAS DE SEGURANCA, VIGILANCIA, TRANSPORTE DE VALORES, SEGURANCA ORGANICA E ESCOLTA ARMADA DE CASCAVEL E REGIAO, CNPJ n. 78.120.904/0001-48, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). JOSE CARLOS ANTUNES FERREIRA;

SINDICATO DOS EMP DE EMP DE SEGURANCA E VIG DE P GROSSA, CNPJ n. 78.603.560/0001-28, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). JOSE NILSON RIBEIRO;

SIND DOS EMPR DE EMP DE SEGURANCA E VIGILANCIA DE MGA, CNPJ n. 78.186.335/0001-33, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). JOSE MARIA DA SILVA;

SIND. DOS EMP. EM EMP. DE SEG. VIGI. TRANS DE VLOR, SEG. ORG, ESC. ARMADA, VIG. MONIT. E SIMILARES DE UMR E REGIAO, CNPJ n. 79.868.022/0001-28, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). JOSE BARBOSA DA SILVA;

SINDICATO DOS EMP EM EMP SEG VIG TRAN DE VAL E SIM LOND, CNPJ n. 78.293.982/0001-44, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). ORLANDO LUIZ DE FREITAS;

SIND EMPREGADOS EM EMP DE SEGURANCA E VIGIL DE P BRANCO, CNPJ n. 78.072.477/0001-70, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). ALAOR DE JESUS MACHADO DOS SANTOS;

SINDICATO DOS VIGILANTES DE PARANAGUA-PARANA , CNPJ n. 12.290.975/0001-80, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). EDSON DAVID COELHO;

E

SINDICATO DAS EMPRESAS DE SEGURANCA PRIVADA DO EST PR, CNPJ n. 78.905.700/0001-12, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). SANDRO MAURICIO SMANIOTTO;
celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes:

CLÁUSULA PRIMEIRA - VIGÊNCIA E DATA-BASE

terça-feira, 15 de abril de 2014

Convenção Coletiva de Trabalho dos Vigilantes de Pernambuco - 2014

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014


NÚMERO DE REGISTRO NO MTE:   PE000300/2014
DATA DE REGISTRO NO MTE:            19/03/2014
NÚMERO DA SOLICITAÇÃO:              MR008955/2014
NÚMERO DO PROCESSO:                   46213.005351/2014-16
DATA DO PROTOCOLO:                       17/03/2014
               
SIN EMP EMPR SV TRAB TRANVA SV EMPR PESS C FO ESP SV PE, CNPJ n. 10.580.199/0001-28, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). JOSE INACIO CASSIANO DE SOUZA;
 E
 SIND DAS EMPRESAS DE SEGURANCA E VIGILANCIA DO EST PE, CNPJ n. 24.417.867/0001-05, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). AGOSTINHO ROCHA GOMES; celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes:

 CLÁUSULA PRIMEIRA - VIGÊNCIA E DATA-BASE

 As partes fixam a vigência da presente Convenção Coletiva de Trabalho no período de 01º de janeiro de 2014 a 31 de dezembro de 2014 e a data-base da categoria em 01º de janeiro.

 CLÁUSULA SEGUNDA - ABRANGÊNCIA

 A presente Convenção Coletiva de Trabalho abrangerá a(s) categoria(s) dos empregados em empresas de segurança privada, com abrangência territorial em Abreu e Lima/PE, Afogados da Ingazeira/PE, Afrânio/PE, Agrestina/PE, Água Preta/PE, Águas Belas/PE, Alagoinha/PE, Aliança/PE, Altinho/PE, Amaraji/PE, Angelim/PE, Araçoiaba/PE, Araripina/PE, Arcoverde/PE, Barra de Guabiraba/PE, Barreiros/PE, Belém de Maria/PE, Belém de São Francisco/PE, Belo Jardim/PE, Betânia/PE, Bezerros/PE, Bodocó/PE, Bom Conselho/PE, Bom Jardim/PE, Bonito/PE, Brejão/PE, Brejinho/PE, Brejo da Madre de Deus/PE, Buenos Aires/PE, Buíque/PE, Cabo de Santo Agostinho/PE, Cabrobó/PE, Cachoeirinha/PE, Caetés/PE, Calçado/PE, Calumbi/PE, Camaragibe/PE, Camocim de São Félix/PE, Camutanga/PE, Canhotinho/PE, Capoeiras/PE, Carnaíba/PE, Carnaubeira da Penha/PE, Carpina/PE, Caruaru/PE, Casinhas/PE, Catende/PE, Cedro/PE, Chã de Alegria/PE, Chã Grande/PE, Condado/PE, Correntes/PE, Cortês/PE, Cumaru/PE, Cupira/PE, Custódia/PE, Dormentes/PE, Escada/PE, Exu/PE, Feira Nova/PE, Fernando de Noronha/PE, Ferreiros/PE, Flores/PE, Floresta/PE, Frei Miguelinho/PE, GameGlória do Goitá/PE, Goiana/PE, Granito/PE, Gravatá/PE, Iati/PE, Ibimirim/PE, Ibirajuba/PE, Igarassu/PE, Iguaraci/PE, Ilha de Itamaracá/PE, Inajá/PE, Ingazeira/PE, Ipojuca/PE, Ipubi/PE, Itacuruba/PE, Itaíba/PE, Itambé/PE, Itapetim/PE, Itapissuma/PE, Itaquitinga/PE, Jaboatão dos Guararapes/PE, Jaqueira/PE, Jataúba/PE, Jatobá/PE, João Alfredo/PE, Joaquim Nabuco/PE, Jucati/PE, Jupi/PE, Jurema/PE, Lagoa do Carro/PE, Lagoa do Itaenga/PE, Lagoa do Ouro/PE, Lagoa dos Gatos/PE, Lagoa Grande/PE, Lajedo/PE, Limoeiro/PE, Macaparana/PE, Machados/PE, Manari/PE, Maraial/PE, Mirandiba/PE, Moreilândia/PE, Moreno/PE, Nazaré da Mata/PE, Olinda/PE, Orobó/PE, Orocó/PE, Ouricuri/PE, Palmares/PE, Palmeirina/PE, Panelas/PE, Paranatama/PE, Parnamirim/PE, Passira/PE, Paudalho/PE, Paulista/PE, Pedra/PE, Pesqueira/PE, Petrolândia/PE, Petrolina/PE, Poção/PE, Pombos/PE, Primavera/PE, Quipapá/PE, Quixaba/PE, Recife/PE, Riacho das Almas/PE, Ribeirão/PE, Rio Formoso/PE, Sairé/PE, Salgadinho/PE, Salgueiro/PE, Saloá/PE, Sanharó/PE, Santa Cruz da Baixa Verde/PE, Santa Cruz do Capibaribe/PE, Santa Cruz/PE, Santa Filomena/PE, Santa Maria da Boa Vista/PE, Santa Maria do Cambucá/PE, Santa Terezinha/PE, São Benedito do Sul/PE, São Bento do Una/PE, São Caitano/PE, São João/PE, São Joaquim do Monte/PE, São José da Coroa Grande/PE, São José do Belmonte/PE, São José do Egito/PE, São Lourenço da Mata/PE, São Vicente Ferrer/PE, Serra Talhada/PE, Serrita/PE, Sertânia/PE, Sirinhaém/PE, Solidão/PE, Surubim/PE, Tabira/PE, Tacaimbó/PE, Tacaratu/PE, Tamandaré/PE, Taquaritinga do Norte/PE, Terezinha/PE, Terra Nova/PE, Timbaúba/PE, Toritama/PE, Tracunhaém/PE, Trindade/PE, Triunfo/PE, Tupanatinga/PE, Tuparetama/PE, Venturosa/PE, Verdejante/PE, Vertente do Lério/PE, Vertentes/PE, Vicência/PE, Vitória de Santo Antão/PE e Xexéu/PE.

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

PISO SALARIAL

terça-feira, 1 de abril de 2014

Convenção Coletiva de Trabalho - Vigilantes Mato Grosso - 2014

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014

NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MT000054/2014
DATA DE REGISTRO NO MTE: 14/02/2014
NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR080085/2013
NÚMERO DO PROCESSO: 46210.000291/2014-75
DATA DO PROTOCOLO: 14/02/2014
 Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

SINDESP/MT - SINDICATO DAS EMP DE SEG, VIGILANCIA, TRANSP DE VALORES, SEGUR ELETR, MONIT DE ALARMES E CURSOS DE FORM DE VIGILANTES DO ESTADO DE MT, CNPJ n. 24.772.451/0001-05, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). ANGELO ROBERTO JACOMINI;
E
 SINDICATO DOS VIGILANTES DO MEDIO ARAGUAIA, CNPJ n. 74.092.818/0001-18, neste ato representado(a) por seu Procurador, Sr(a). KLECIORNEY GONCALVES DE SOUZA;  
SIND EMP EMPRES SEGUR V T V C F VIG S E V G O T P S E M, CNPJ n. 03.238.706/0001-84, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). REGINALDO DE ARAUJO SILVA;
 SIND TRABALHADORES EM EMP VIGIL SIMILARES A F E REGIAO, CNPJ n. 33.684.143/0001-19, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). JOSE ELOI CRESTANI;  celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes:

CLÁUSULA PRIMEIRA - VIGÊNCIA E DATA-BASE

As partes fixam a vigência da presente Convenção Coletiva de Trabalho no período de 01º de janeiro de 2014 a 31 de dezembro de 2014 e a data-base da categoria em 01º de janeiro.

 CLÁUSULA SEGUNDA - ABRANGÊNCIA
 A presente Convenção Coletiva de Trabalho abrangerá a(s) categoria(s) dos trabalhadores em empresas de segurança, vigilância, transporte de valores, Segurança Eletrônica, e curso de formação de vigilantes, com abrangência em todo o estado de Mato Grosso, com abrangência territorial em Alta Floresta/MT, Barra do Garças/MT e Cuiabá/MT.

Salários, Reajustes e Pagamento

Piso Salarial

 CLÁUSULA TERCEIRA - - DAS CONDIÇÕES ECONÔMICAS E DOS SALÁRIOS NORMATIVOS

DO VIGILANTE – O piso salarial mensal da categoria será majorado em 7,00%(sete por cento) e passará, a partir de 1º.02.2014, de R$ 861,35 (oitocentos e sessenta e um reais e trinta e cinco centavos centavos). Para R$ 921,64 (novecentos e vinte e um reais e sessenta e quatro centavos)

domingo, 23 de março de 2014

Convenção Coletiva de Trabalho - Vigilantes de Minas Gerais - 2014

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014


NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG000787/2014
DATA DE REGISTRO NO MTE: 28/02/2014
NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR011540/2014
NÚMERO DO PROCESSO: 46211.001378/2014-50
DATA DO PROTOCOLO: 28/02/2014

SIND DOS EMPREGADOS DE EMP DE SEG VIGILANCIA DO EST MG, CNPJ n. 18.355.800/0001-90, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). ROMUALDO ALVES RIBEIRO; SINDICATO DOS EMPR EM EMP DE VIG.E SEG.E TRANS.DE VALOR, CNPJ n. 25.206.723/0001-72, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). CARLOS DE JESUS ANTUNES DA SILVA; SIND EMP EMPR SEG VIG TRANSP VAL SEG PESSOAL TRAB EMP SERV ORG SEG SEM AF UBERL E REG, CNPJ n. 21.241.344/0001-62, neste ato representado (a) por seu Procurador, Sr(a). HELIO MARCOS SA DE FREITAS; E SINDICATO DAS EMPRESAS DE SEGURANCA E VIGILANCIA EST.MG, CNPJ n. 24.059.628/0001-20, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). EDSON PINTO NETO; celebram a Presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes:

CLÁUSULA PRIMEIRA - VIGÊNCIA E DATA-BASE
As partes fixam a vigência da presente Convenção Coletiva de Trabalho no período de 01º de Janeiro de 2014 a 31 de dezembro de 2014 e a data-base da categoria em 01º de janeiro.

CLÁUSULA SEGUNDA – ABRANGÊNCIA
A presente Convenção Coletiva de Trabalho abrangerá a(s) categoria(s) Categoria Profissional dos Empregados de Empresas de Segurança e Vigilância, com abrangência territorial em MG. Salários, Reajustes e Pagamento Piso Salarial

CLÁUSULA TERCEIRA - PISO SALARIAL / REAJUSTE VIGÊNCIA DA CLÁUSULA: 01/01/2014 a 31/12/2014
Fica esclarecido que o impacto econômico das correções promovidas sobre o reajuste salarial, acrescido à revisão dos benefícios constantes do presente instrumento, perfaz o percentual de 6,56% (seis virgula cinqüenta e seis por cento).

Tabela do Piso Salarial dos Vigilantes de Minas Gerais - MG - 2014




TABELA SALARIAL VIGILANTES DE MINAS GERAIS – MG
Vigilantes patrimoniais, escolta armada e segurança pessoal
Piso Salarial da Categoria para 2014 - R$ 1.255.02

Validade 01 de Janeiro de 2014 a 31 de dezembro de 2014
Reajuste salarial da Categoria foi de 6,56%
Função
Salário Base
Periculosidade 30%
Adicional função
Salário +
Adicional função+
Periculosidade
Vigilante Patrimonial
R$1.255,02
R$ 376,50
---
R$ 1.631,52
Vigilante Escolta
R$1.255,02
R$ 376,50
25%
R$ 313,75
R$ 1.945,27
Vigilante Seg Pessoal
R$1.255,02
R$ 376,50
30%
R$ 376,50
R$ 2.008,08
Outras funções com salários Reajustados
Pessoal Administrativo
R$ 1.113,90
Office-boy e serventes
R$ 738,97
*Vigilante desarmado
(Comércio Varejista)
R$ 986,81 (conforme Parágrafo 12° da CCT 2014)
Vigilante de Eventos
R$ 11,86 p/ hora. (período máximo do evento 15hs)
Valores das Horas e Adicionais
Descrição
Sem Adicional 30%
Com Adicional 30%
Valor/dia
R$ 41,83
R$ 54,38
Hora normal
R$ 5,71
R$ 7,41
Hora extra
R$ 9,14
R$ 11,86
Adicional noturno
R$ 2,28 por hora
R$ 2,96 por hora
Hora noturna
R$ 7,99
R$ 10,37
Benefícios
Plano de Saúde (Promed)
Familiar: R$ 118,61
Por dependente: R$ 59,42 (até duas pessoas)
Consultas co-participação: R$ 12,70
Consultas na Clínica Promed: R$ 10,60
Exames simples: R$ 5,10
Exames especiais: R$ 17,01
Plano Odontológico: R$ 10,50 (por pessoa)
Cesta Básica:  R$ 88,50 (Valor mínimo)
Tíquete Refeição: R$ 9,42 (por dia)
15 dias x R$ 9,42 = R$ 141,30
16 dias x R$ 9,42 = R$150,72
22 dias x R$ 9,42 = R$ 207,24
Salários de Janeiro e Fevereiro - 2014
Diferenças de salários de janeiro e fevereiro: R$ 77,26 x 2 = R$ 154,52.

“PARÁGRAFO QUARTO (CCT 2014) - As diferenças salariais dos meses de janeiro e fevereiro de 2014, bem como seus reflexos, serão quitadas até o quinto dia útil de maio de 2014.”

“PARÁGRAFO QUINTO (CCT 2014)- As diferenças salariais e das verbas rescisórias dos meses de janeiro e fevereiro de 2014, bem como seus reflexos, para aqueles que foram demitidos a partir de 1º de janeiro de 2014, serão quitadas pelas empresas no prazo de 10 (dez) dias após o requerimento do mesmo junto à empresa.”

terça-feira, 18 de março de 2014

Nogociação coletiva dos Vigilantes do Rio de Janeiro - 2014

Sem acordo entre o sindicato dos trabalhadores e o sindicato patronal. 


                                                         
A proposta apresentada pelos empresários foi aumento de 7%, tíquete refeição de R$ 13,00e a criação da cláusula para vigilantes em eventos. E nada a mais!

Novamente a proposta do sindicato das empresas foi recusada por todos os sindicatos dos trabalhadores.
Nossa proposta (dos trabalhadores) para a nova Convenção Coletiva foi manutenção do Risco de Vida, reajuste salarial de 10% e elevação do tíquete para R$ 20.52 com a redução do desconto para o trabalhador de apenas 5%, ao invés dos atuais 20%. 

Também defendemos cláusulas sociais como o plano de saúde para o vigilante e seus dependentes, a regulamentação de trabalho em eventos, entre outras”.


Como não houve acordo, outra rodada de negociação foi marcada para o dia 19/03 , próxima quarta feira, às 14 no Sindesp.



terça-feira, 4 de março de 2014

Campanha salarial dos Vigilantes do Rio de Janeiro para 2014 começaram com divergências entre patrões e sindicatos.

Os sindicatos dos Vigilantes de Niterói, São Gonçalo e região (SVNIT), Petrópolis e região e Duque de Caxias iniciaram as negociações da campanha salarial 2014 com o Sindesp – Sindicato das Empresas em Segurança Privada (patronal).

O encontro aconteceu na sede do patronal na manhã desta quarta-feira (26) onde foram debatidos cláusulas sociais e aumento real para a categoria. Os patrões abriram a reunião apresentando uma proposta de reposição da inflação no salário e no tíquete. Os sindicalistas rejeitaram a proposta e um novo encontro ficou agendado para o dia 10 de março.

Nas discussões os sindicatos levantaram a importância de revisão de cláusulas como a multa por atraso no pagamento de salários, com aplicação da multa para atrasos a partir do 5º dia útil e não no oitavo como está na atual convenção; os sindicalistas apresentaram também a necessidade de contratação de vigilantes femininos o que diminuiria os constrangimentos nas revistas, principalmente nos bancos; fim das reciclagens nos finais de semana; melhorar a redação da cláusula que trata sobre o atestado médico; aumento da hora do adicional noturno de ao invés de 22hs às 5hs, para 22hs às 7hs.

As discussões também passaram sobre as contratações de vigilantes para grandes eventos como a Copa do Mundo. Já existe em Brasília uma discussão entre a Confederação Nacional dos Vigilantes, empresários e Ministério do Trabalho para melhorar os valores das diárias e as condições de trabalho.


Os sindicatos levantaram também a necessidade das empresas reduzirem o desconto do tíquete de alimentação que hoje é de 20%. A proposta foi de que apenas 5% seja descontado do vigilante, o que já representaria ganho real no salário.

Os patrões foram enfáticos em afirmar não ser possível conceder aumento real, mas sinalizaram que avanços nos tíquetes alimentação eram possíveis.


A posição dos sindicatos é manter a exigência de ganho real no salário para a categoria além da concessão dos outros benefícios. A próxima reunião negocial acontecerá às 14hs do dia 10 de março onde uma nova proposta deverá ser apresentada.

Estiveram na reunião os presidentes Cláudio Vigilantes (SVNIT), Adriano Linhares (Sind. Petrópolis) e Carlos Gil (Sind. Duque de Caxias).

Fonte: WMC Assessoria


domingo, 23 de fevereiro de 2014

Tabela de Piso Salarial Escolta Armada – SP – 2014





Tabela de Piso Salarial Escolta Armada – SP
Validade - 01/01/2014 a 31/12/2014
Piso Salarial da Categoria para 2014 - R$ 1.271,46
Piso Salarial
R$  1.271,46
Adicional de Risco de 30%
R$  381,44
Renumeração Básica Mensal
R$  1.652.90
Salário de um dia Normal
R$  42,38
Salário de um dia com adicional de risco
R$  55,10
Vale Refeição por dia
R$  15,00
Valor de uma hora Normal
R$  5,78
Adicional de risco de vida 30%
R$  1,73
Valor de uma hora normal cheia
R$  7,51
Adicional de hora extra 60%
R$  12,02
Hora extra Feriado e Folga 100%
R$  15,02
Adicional Noturno 20%
R$  1,50
Hora noturna Reduzida 52 ¹/²
R$  9,01
Valores dos Reajustes dos Benefícios para 2014

O reajuste salarial foi de 5,58%;

Tíquete-refeição subiu de R$ 12,18 para R$ 15,00, aumento de 23%;

As empresas ficam obrigadas a fornecer o café matinal para os empregados que iniciarem suas atividades na sede da empresa até as 08:00 hs;

Os companheiros também passam a receber Participação nos Lucros e/ou Resultados;

Os benefícios valem a partir de 1º de janeiro, data-base da categoria.



Veja Também